domingo, 2 de maio de 2010

Aqui

Ali me deito, sobre o tapete rosado de flores machucadas. Ali, repouso meus olhos e meus ouvidos, deixo minhas lembranças e desejos, descubro que sozinha posso sonhar à vontade...ali se curam doenças, se regeneram tecidos, se criam as mais belas canções e, a vagar pela madrugada escura, imagens se tornam pessoas, pessoas se tornam anúncios e o caos se transforma na coerência pura. Ali nunca estive, ali sempre sou. Ali, dentro de mim, tudo se torna confortável e minha vida inteira faz sentido, alimento-me, nutro-me, cubro-me de realização e cuidados. Em todo lugar, ali existe. Aqui também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário