terça-feira, 25 de maio de 2010

Da fúria

A qualquer momento você vai explodir em fúria
Os gritos de revolta vão escorregar de teus ombros e inundar a sala, os quartos, estragar a TV
Você vai querer nunca ter me dado ouvidos, vai querer me bater com a faca de cortar pão
Esmagar meus dedos na porta
Estraçalhar aquele meu vestido que você tanto gostava

Mas, entendo que é só sua raiva florescendo
Entendo que é só a sua mente
E que você é muito maior que isso
E que o meu querer é maior do que você e do que eu, é grande, então.

Vou ali descascar uma ferida, já volto.

Um comentário: