domingo, 23 de maio de 2010

Nós, como enganos

E hoje me pergunto:
- Onde foi que eu me errei?

Nos erros nos acertamos na vida e consertamos o nosso passo, pulsamos no infinito do espaço

Poeira cósmica que somos
Não admitimos
nunca
Que o apego ao erro
É o pior condutor de enganos.

Um comentário: