sábado, 1 de maio de 2010

Observante

Inevitável abrir os olhos, perceber, fazer acontecer. É o rumo natural que se toma, a todo instante, estando em paz com o divino...crescer é parte da obra humana, crescer é ser cada vez mais observador e ouvinte de tudo o que acontece ao seu redor, desenvolver uma consciência, uma plenitude que só chega a um certo nível no tempo da velhice (que não quer dizer muitos anos de vida). Mesmo depois de velho, o espírito evolui, evolui, continua existindo e evoluindo e nunca volta atrás, em sua infinita magnitude. Todas as pessoas que passam por nossa vida são ali colocadas por algum motivo, nada de coincidências, nada de enganos. Os enganos são criados por nós e pela nossa limitada mente, escassa de experiências e supostamente portadora de todo o saber do mundo. O que nos engana são os julgamentos. O que nos mata é a ponta da língua. O que nos fere são nossos próprios pensamentos.

Nenhum mal pode me atingir, pois sou infinito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário