quarta-feira, 19 de maio de 2010

Passeio

- De tempos em tempos me vem à memória um pedacinho do teu rosto que caiu de um quadro

No caminho que meus passos junto aos teus fizeram
Vejo uma flor que seca e torna-se paisagem
Vejo luzes de todas as cores
Vejo formas geométricas
Vejo meus desejos amortecidos pelo esquecimento
Vejo uma construção imponente de cimento e pedras
E a lembrança de uma discórdia distante
De um olhar
De um sorriso
De outros sorrisos
E de outras gentes que por aqui andaram junto a nós

Quanto disso é meu?

Nenhum comentário:

Postar um comentário