sábado, 25 de setembro de 2010

Être

Empresta as asas à imaginação
Deixa sair de si
Todo esse amor
Toda essa alegria
Explode em cacos que não ferem, são confetes, serpentinas

Só o seu ser já me deixou sendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário