sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Nascimento

Salta o salto mais largo
Pensa, suspende o grito (guturalmente, é um sussurro em flor)
Sois então a pena mais leve que gira no ar, flutua esplêndida massa
Chega ao seu destino, dobra-se como quem amortece a queda brusca
Cede ao cansaço (uma fração de segundo apenas, um arrepio de cálido fulgor)

Espasmos te dirão com quem andas
Pulando sem direção
A passos largos, de mãos dadas com outros botões
Mais alturas, mais espaços
As pedras ficam cada vez mais altas e o salto...cada vez mais distante
Chegando lá em cima, senta no topo da imensidão azul
Sente o topo do mundo, o topo das idéias
E o teto do mundo é o céu
Que para ti se abriu no dia em que você, chorando de fome e alívio
Saltou do ventre da sua vida.

Um comentário: