quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Vão

Dizem por aí que me entreguei...
Quem antes de você me conheceu, diz que não me reconhece mais
e quem agora me conhece, pensa que sempre fui assim
Mas eu não sou isto
Nem a entrega, nem a omissão
Meu dom maior é adivinhar pelo olhar
sentir
E é só isso o que posso oferecer

Dizem por aí que me entreguei...e que não exijo nada em troca
Deixe que falem, essas bestas
Não sou delas, não são minhas
E a injúria fica pairando sobre suas cabeças como nuvens pesadas e escuras

Que o mar me leve na onda do vazio
Se de mim escaparem palavras vadias
Sempre fui assim? Sempre sou
A entrega, a omissão
A linha do contraponto do sim e do não
Desanuvião.

Nenhum comentário:

Postar um comentário