quarta-feira, 22 de junho de 2011

Lente

Mente que te quero ausente.

Neste momento, vejo o mundo através de grossas lentes, sofro de miopia. Não qualquer miopia, mas um tipo de deficiência que pode ser comparado à surdez complacente ou à falta de noção consentida, cujos sintomas são facilmente identificáveis por quem opta desenvolver enfermidades mais socialmente aceitáveis que a gonorréia, por exemplo. Além dessa miopia prismática, sou portadora de um mal crônico e incurável, uma espécie de síndrome de Tourette emocional. Os principais sintomas (consegui identificá-los assim que comecei a me perceber como parte de um mundo) são: torrentes de sinceridade facilmente confundidas com grosseria gratuita; desleixo amoroso seguido de descaso; mal estar social e, em casos graves, fobia social e desprezo por outros seres humanos; senso de controle geralmente associado a total indiferença a problemas alheios, sendo que nenhum dos estudos já feitos conseguiu comprovar a real relação entre esses dois atributos. O interessante é que os sintomas da miopia prismática (facilidade em manter relações, visão totalmente otimista da realidade, interesse em fatores externos, suficientes cuidado e atenção dedicados a cada frase proferida) têm a incrível capacidade de anular quase que por completo os da neurodeficiência Tourettiana, de mais difícil compreensão, por isso, mais extenuantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário