terça-feira, 23 de agosto de 2011

Dois lados

Eram duas idéias girando no torvelinho dos meus pensamentos
Eram duas fases, transitórias, esquisitas...
O lado esquerdo, briguento
O lado direito, atento
O meio, surdo, cego, mudo e incapaz
E o centro, tudo, ocupava o espaço de uma agulha num palheiro

Penso que sempre me esqueço dessas duas fases, e passo a viver intermitentes momentos de agora
Esqueço passados, méritos, crises
E o que fica é essa sensação de bem-estar
Assim, lembro que tudo é uma questão de ponto de vista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário