quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Lapso

Talvez Verônica não fosse completamente louca. Às vezes lhe sopravam ventos de lucidez, como brisas calmas que varrem as folhas secas. Talvez não fosse, de fato, uma lucidez irônica, ou simples lapsos de consciência do estado em que se encontrava, mas sim uma extremidade do sinuoso caminho que costumava percorrer, uma curva, uma esquina em que dois pensamentos poderiam se equilibrar e formar apenas um.

Um comentário: