segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Venha que o que vem...

Parece tão fácil, é um dia perfeito. É um dia perfeito comigo perfeita. Não tenho erros, evito dúvidas. Assim, sou perfeita por um caminho perfeito. Os sonhos são fracos, os ouvidos cansam rápido, penso que sou surda ou muda ou cega, tudo de uma vez. E os dias são iguais. Tão iguais que parecem nuvens, voláteis, cheias de um branco inconstante. Um branco. Perfeito. Branco perfeito. Já entreguei tudo o que tinha, a casa, o carro, os homens, as mulheres. Tenho tudo nas mãos e não tenho nada, tenho uma idéia para ótimas empreitadas. E nada. Tudo é tão perfeito que não vou mexer em nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário