quinta-feira, 29 de setembro de 2011

A rima

Batem portas de pernas abertas
Pelas tortas rotas de costas
Pensam tanto, de tatos opostos
Perdem tangos de tacos na mesa

Ouço dizer:

- Mas ao menos você tem isso -

Esse tombo de túmulo aceso
Uma crosta de húmus coeso
Pré-cozido em mundos de gesso
Bem pregado a muros do avesso

Junto tudo o que de melhor estrago, faço carnes, cozidos, não agrado
Penso em sangue, comidas, dinheiro
Para tantas donzelas sagrado

Tenho fome, inveja, repulsa
Tenho trinta tomates inteiros
Faço um molho de pérola avulsa
Com dois quilos de busca certeiros

Mas...e a rima?

Um dia, ela volta.

Descobertas

Descobri que meu ceticismo é apenas um mecanismo de defesa. Assim, quando algo dá errado, ao invés de sofrer e chorar sobre o leite derramado eu posso dizer: "Nunca achei que daria certo mesmo!"

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

On the road (1)

Curva, curva, curva
Carona nº1:
- Você não tá me levando lá na Nilo Cairo, né?
Curva, curva
Eu:
- Ué, estou, por qu...AAAAAAGGHHHHHHFF
Carona nº1:
- É.

Moral da história:
"Sempre pergunte o destino antes de levar alguém a casa."

domingo, 11 de setembro de 2011

Ponto!

A linha se traça a partir do ponto cego
A ponta cega que apontou a direção do destino
Esse ponto era meu
Era o meu
É nosso
Dois pontos, vírgulas, frases
Uma reta é a união de vários pontos, e dois pontos, o que são?

Sei que costuro um dia como se fosse um remendo
Sei que costuro uma hora como se fosse um ponto-cruz
E já diziam serem pontos chave...
Ponto cego, ponto cruz, dois pontos, duas linhas
Paralelos, retos, juntos e opostos
Dentro como pontos de referência distantes em campo de visão (limitado)
Pontos em postes de luz e sombra, dívidas kármicas?

Oh, ponto!
Aponte-me um ponto fixo ou móvel
Mas um ponto
Ou uma ponte
Ou uma parte
Ou um ponto, novamente
Um ponto amorfo, ponto final.