quinta-feira, 29 de setembro de 2011

A rima

Batem portas de pernas abertas
Pelas tortas rotas de costas
Pensam tanto, de tatos opostos
Perdem tangos de tacos na mesa

Ouço dizer:

- Mas ao menos você tem isso -

Esse tombo de túmulo aceso
Uma crosta de húmus coeso
Pré-cozido em mundos de gesso
Bem pregado a muros do avesso

Junto tudo o que de melhor estrago, faço carnes, cozidos, não agrado
Penso em sangue, comidas, dinheiro
Para tantas donzelas sagrado

Tenho fome, inveja, repulsa
Tenho trinta tomates inteiros
Faço um molho de pérola avulsa
Com dois quilos de busca certeiros

Mas...e a rima?

Um dia, ela volta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário