quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Haverá um dia em que tudo será revelado. Nesse dia, poderemos compreender o que até então ficou obscuro, o que imaginamos ter sob controle e o que nem sonhávamos que pudesse fazer sentido.
Aí veremos, então, que o esnobe era humilde, o mentiroso era sincero e o rebelde, obediente. A soberba do homem-de-bem cairá por terra, e ele se verá em meio a milhões de almas perdidas como ele, clamando por vingança e justiça por todas as vidas desperdiçadas na tentativa de ser o rei do mundo, vagando pela eternidade carregando consigo o peso insuperável de todas as mágoas, todos os apegos, todas vaidades e orgulhos vãos.

Mas, por quê teria o pobre homem-de-bem que pagar por todas as faltas da humanidade? Coitado. Mal sabe ele o que o espera depois do fim do túnel. Mal sabe que tudo o que realizou mesquinhamente foi besta e que sua insistência em negar a vida com seus altos e baixos lhe custou uma morte em paz.